SALADA DE FRUTAS NO COPO DE GIM

Thursday, November 30, 2006

IN COMA

Cruél é ver bater na cara da mãe e nem ao menos responder bom dia... Estranho, frio, censurado, impotente, calado, amargo.
Quantos anos de vida, e quantos passando ou pagando a prazo pela morte, injustiça? Vida!
Ela teve uma vida, sim teve sim, passou pelos seus quinze anos, um baile de debutante a dar inveja a cidadezinha que morava, em meados de 1956, ano do tradicionalismo e moral a flor da pele que chegava a doer os ossos. Cinderela que não era pobre, pelo menos até aos 18 anos quando sua carruagem virou abobora. A paixão nessa idade é normal, nem tanto pra quem naum tem paixão pra dar e nem sabe o que é receber, ela tinha e teve... Só porque ele era pobre e negro... o amor não é mais amor, é promiscuidade, perda de honra, expulsa de casa com todas as letras, e nem as fotos ficaram, todas queimadas.
Do nada, sem família, eles no mundo e o mundo na frente deles, pra amar não precisava trabalhar era só ficar junto se manter com o que tivesse. Ah o amor, pra poucos e são exatamente eles que sabem...
A honra, o comentário, a filha que saiu de casa com um pobre negro, a escória social caindo por cima da família, do "nome".
O sinônimo disso tudo para grande maioria daquela época que não sabia o que era amor de verdade só constituia em uma palavra com cinco letras assim como o amor, HONRA e se não tivesse honra teria MORTE. O "nome" jamais deveria ser abalado, até quando ela levou o primeiro tapa na cara de sua mãe e ao cair no chão bateu a cabeça no criado mudo, e assim ficou MUDA, SURDA, em COMA, sem ninguém e ninguém mesmo pq ele, seu amado Romeo foi assassinado não se sabe por quem e ainda há pessoas que comentam não saber o porque. Imaginem!!!
Vida??? Coma??? EQM??? Quem nós somos de verdade???? E quem são eles????

0 Comments:

Post a Comment

<< Home