SALADA DE FRUTAS NO COPO DE GIM

Saturday, March 03, 2007

MEMÓRIAS DE CARNEFICINA

A beira do abismo está bem a dois passos do meu sacrifício, ser apunhalado, humilhado, espancado ja basta pra que eu tenha motivos para que minha mente faça com que eu me jogue agora. Foi em vão, não dessa vez...ainda estou entre os vivos sendo humilhado porque estou vivendo da minha maneira de ser que consequentemente não é a deles, ou seja os "normais", a maneira correta.
Meu pai me mandou embora da casa que vivi durante 24 anos da minha vida, motivos dele? Eu, ja basta. Isso pra mim ja basta pra perceber que vivo sem um pai, sem um pedaço que ficou pelo caminho não havendo mais a possibilidade de voltar atrás. Será que eu precisava disso? Infelizmente nem meu pai ou qualquer pessoa existênte nesse mundo não é minha cópia pra querer me manipular, me rasgar ou rasurar uma coisa que ja existe...o ser único e olha que todo mundo é único e porra pra que eu vou ser uma pessoa pra viver para os outros sendo que sou único.
Eu preciso abrir uma janela pra iluminar a minha vida, essa vida, amada vida e maldita porcaria.

Saturday, February 17, 2007

DIA E NOITE DE UM FOLIÃO

Hoje é um dia de festa, tem alegria, confete e serpentina,
Hoje é carnaval, noite de comemoração, contentação e ódio,
Uns adoram, outros ignoram, eu estou vivendo...
Uma noite de carnaval, um dia de branco e uma tarde cinza como uma roupa de PIERRÔ no fim da festa jogada em um canto do salão, as vezes é assim que me sinto, jogado em um canto de um salão abarrotado de foliões, sou triste, estou triste e não sei porquê. Sei que falta alguma coisa a preencher esse espaço dentro de mim, talvez seja egoísta comigo mesmo mas falta algo a ser completado antes do fim do carnaval.
Como remetemos o carnaval como um descarrego emocional, não é? Basta todo mundo estar dançando em sintonia nos quatro cantos do país para ficarmos feliz, alegres, esquecer do amanhã e lembrar apenas na serpentina a desenrolar no salão. Como é gostoso ver as pessoas sendo felizes e como é amargo as vezes não poder dividir o mesmo sentimento, assim como amores de carnaval que sempre passam, como arremessos de confetes que felicitam apenas uns momentos e depois são jogados fora, ahh como é lindo o carnaval, como me sinto vulneravél as pessoas, a estas festas. Assim como as pessoas que brincam me sinto a vontade de brincar também, da minha maneira, é bem da verdade, mas sou assim, entro dentro de casa ligo a tv e vejo a escola de samba passar, linda, imperiosa, mas este ano não vai ganhar o campeonato.

Tuesday, January 30, 2007

FALSAS ESPERANÇAS

Estou a andar pela estrada como um autêntico viajante em busca de alguma esperança.
Creio que quando estou atrás de algo me sinto mais novo, mais forte, esperançoso, eu mesmo.
Quando você me disse pra ficar...eu fui e agora quero voltar, estou voltando pra você a cada dia que passa e a cada dia que passa você vai ficando mais longe de mim.
Eu nunca fui mestre do amor ou Phd em paixões mas eu tenho certeza que fui único pra você, bons momentos foram aqueles que te ligava três da manhã bebado pra pedir colo e você me mandava dormir e acabava comigo.
Acordei, preciso andar mais um pouco, viajar, correr atrás do tempo perdido, hoje me bateu ciúme, você me faz de gato e cachorro e eu tenho ciúme e raiva quando ele está do seu lado, viro bicho, acabo com você, volto mais uma vez pra te dar falsas esperanças...
O sol está quente hoje, estou me cansando cada dia mais de tanto que você fica longe, ja nem apareço mais no seu mundo virtual, ja nem consigo mais acessar a sua página, me da tristeza.
O difícil nesse momento que passo é voltar pra trás, está muito mais longe do que você por exemplo, mas é uma certeza que eu tenho de que se voltar pra trás ainda tenho chances de você não se sentir com falsas esperanças. Tenho um gosto de gostar de você, me sinto tão bem, tão seu, tão forte e moleque ao mesmo tempo, rir, chorar, gozar depois de uma taça de vinho tinto, o que eu faço pra te ter depende do final dos seus pensamentos, uma definição concreta dos fatos só acontece com atos, atitude. Ai, o que eu to escrevendo aqui??? Você ta tão longe e eu to tão longe, estamos tão perto do final dessa história, sinto que está prestes a acabar num piscar de olhos, essa é a nossa história com falsas esperanças mas não tão fria assim, nossa.

Saturday, January 20, 2007

INFIDELIDADE MÓRBIDA

O cheiro da hora que passou ficou pra trás, aquele cheiro da relva selvagem, dos seus cabelos perto da minha barba rala por fazer e eu fiz, aquele corpo que eu consumia e que também me consumia me consumiu sem pudor pelo momento intenso da hora. Quando acordei, minha cabeça pesada, cheia de lembranças com atos contra o pudor que me fazia relembrar o que fiz com ele, contra ele. Eu ja não estava bebado, estava sim com aquela ressaca de álcool que pedia pra eu botar os bofes pra fora mas mesmo assim não tinha força nem pra isso, só minha cabeça pesava mais e mais e a cada minuto que passava pesava mais um pouco. O engraçado é que mesmo traindo ele por vias de fato eu não conseguia me sentir culpado, meu corpo pediu aquele outro corpo e se eu não resisti é porque sou irresistível, sou um puta cara puto, mas porque ainda estou com ele...porque não consigo ter culpa me sentir culpado...axo que quero de novo, não trair mas sim provar mais um pouco sem ter que deixar quem me ama de lado ou fora da minha vida, ja consigo ver, vou trair...preciso daquele corpo, sei lá de outros corpos, mas ainda preciso dele. Será que eu não vou conseguir mais na minha vida ter limites quanto a isso, sexo, amor, infidelidade, amizade, paixão mórbida, sim axo que a infidelidade é uma paixão mórbida, é um ato de quem precisa ter tudo, de quem não se contenta com pouco e eu, sou assim. Quero tudo, quero ele, o outro, até quem não conheço pessoalmente eu quero...Ai caraca como vou olhar na cara dele, eu o amo, ele não merecia isso, mas ja fiz e está feito, aquele cheiro da hora que passou ficou pra trás, minha cabeça ainda está pesada e agora está dando voltas, axo que penso demais, quer saber vou me encarar no espelho e nele olho meu corpo todo duro, realmente to pronto pra outro, to pronto pra curtir com ele que virou o outro que virou ele depois, estou pronto pra qualquer decisão mórbida que minha cabeça tomar dentro do próximo segundo.

Tuesday, January 09, 2007

"NOTÍCIAS POPULARES" MÃE MATA O FILHO...POR ELE SENTIR FOME

- O Olhar da discordia, da repugnância pelo ato interpretado num fato aos olhos de quem não viu.
Uma noite faltou água, o poço secou, o fundo do poço tinha chegado, inevitavelmente á quem precise e sim, todos nós precisamos de água, comida, sexo, drogas e luxo, mas ainda existe aqueles que que jogam vidas no lixo, um prato de salmão, por exemplo, no lixo. Quem é mãe sabe, só elas são felizes, tristes, enfim, mães.
A água faltar tudo bem ja nem temos muita água assim mesmo, o que não pode faltar é peito, leite, pão.
Quais as razões pra morrer de fome? Falta de emprego, o Lula, a puta que o pariu, sim, razões.
Uma vez em um certo horizonte desse nosso mundo uma mãe ao ver o catarro vermelho sair da boca de seu filho, limitou-se a acabar com tal sofrimento. Ela não tinha família, marido, amigos, ninguém, só viu uma lata de lixo e o jogou sem olhar pra trás, foi tropeçando até cair também. Os dois foram encontrados dois dias depois pelos lixeiros que pegavam lixo pela estrada. Ela ja morta sem vínculo nenhum a ninguém, a não ser pela lata de lixo quando eles encontraram um bebê morto dentro dela, o lixo fedia, sim, fedia a salmão estragado nos braços da criança.
A fome não tem julgamentos e nem culpados, a fome tem crianças e mães mortas e sem futuro porque o futuro só a Deus pertence.

Thursday, January 04, 2007

O OUTRO LADO DE MIM

Vagabundo, covarde, traidor, com a boca toda cheia de formiga, morto e se pegasse de novo o faria novamente, inescrupuloso, mesquinho, aquele pulha...
Paulo, assinou um contrato milhonario com a Arxz, empresa famosa do Emirad dos Árabes, multi-internacional, ele sempre se deu bem na arte de fazer com que o fizessem destacado perante os outros, velho vigário, bom moço.
Pedro, o cara mais sensacional do mundo, divertido, encantador, as mulheres se acendiam ao vê-lo passar pelas ruas, bom moço, velho vigário, Pedro.
Pra ser sincero quando a gente fala de amor, sempre acontece de ter um pouco de ódio também, Paulo se dava bem no novo emprego, havia uma hora que acabara de decolar em direção a Dubai, se sentia uma pessoa cheia de planos e indiscutivelmente plena para o cargo que iria exercer, Pedro havia ganho uma viagem de excursão para Dubai também estavam no mesmo vôo, não se conheciam e tinham caminhos opostos.
Dubai, cidade térrea dona do único hotel 7 estrelas do mundo, a empresa, era fantástica, Paulo chegou adorado por todos e glorificou seu curriculum por isso, logo de cara houve sua primeira reunião, estava sendo ótima até no momento que Paulo sentiu uma vertigem, pediu para ir ao toilet, quando chegou ao banheiro, outra vertigem, Pedro estava lá, olhando no espelho, não houve respostas apenas Pedro não sabia aonde estava, sentiu outra tontura, era Paulo, Pedro, tudo começou a rodar até que Paulo deu um grito e Pedro ouviu, sim, seu alter ego, sua metade, sua dupla personalidade, Pedro.
Paulo e Pedro olhavam juntos ao espelho, era Davi e Golias, quem teria a vitória seria aquele que quebrasse o espelho, juntos quebraram e aí...Paulo disse...
Vagabundo, covarde, traidor, com a boca toda cheia de formiga, morto e se pegasse de novo o faria novamente, inescrupuloso, mesquinho, aquele pulha...Paulo olhou para o pescoço cheio de sangue, matou Pedro, mas pra isso bastava sua própria morte, morreram juntos sem se conhecerem direito, mas morreram conhecendo um ao outro e isso ja bastava pra tais fins.

Saturday, December 30, 2006

COMETA, ESPERE, FAÇA

Estou vagando atrás da luz daquele cometa que acabou de passar em frente aos meus olhos,
Estou vagando atrás daquela poeira fina que aquele cometa deixou quando ele passou,
Quando ele passou meus olhos se abriram infinitamente pelo deslumbre que me fez enxergar,
Quando eu tinha aquele cometa em minha frente me coloquei a chorar pela magia ao me encantar,
A pureza daquele cometa me passou tanta coisa que nem sei muito bem explicar,
Mas sei que quando ele voltar eu estarei bem ali, a lhe esperar.